Novo Tempo

legenda

Novo Tempo

Soldados de Napoleão são enterrados 200 anos depois da morte


Por marciobasso 29/11/2010 - 03h19

Dezoito soldados do Grande Exército de Napoleão I, mortos ao retornar da campanha da Rússia em 1812 e cujos restos foram descobertos este ano perto da capital lituana e foram enterrados nesta segunda-feira no cemitério de Antakalnis, em Vilnius.
Transportados em um caixão comum por militares lituanos e franceses, os restos dos soldados foram sepultados após uma pequena cerimônia.
Os corpos foram abençoados por um padre francês que mora em Vilnius, antes de os oficiais jogarem um punhado de terra gelada no caixão.
Os corpos dos soldados de Napoleão foram descobertos a trinta quilômetros de Vilnius por um grupo de amantes da História.
“Eles procuravam os soldados da Segunda Guerra Mundial e encontraram por acaso os soldados de Napoleão”, explicou Rimantas Jankauskas, professor de Anatomia e Antropologia da Universidade de Medicina de Vilnius.
Os soldados mortos eram jovens. Os objetos encontrados junto aos corpos foram confiados a instituições encarregadas da proteção ao patrimônio, segundo o professor.
Os botões dos uniformes estavam bem conservados e assim foi possível determinar que os soldados pertenciam ao 29º regimento de infantaria, ao segundo regimento de dragões e ao sétimo regimento de hussardos, segundo um comunicado da embaixada da França em Vilnius.
Essas três unidades faziam parte da guarda do imperador.
Napoleão Bonaparte cruzou o rio Niemen no nível de Kaunas, no centro da Lituânia, e passou algum tempo em Vilnius no início do verão de 1812.
Entre 20 mil e 30 mil soldados do Grande Exército faleceram em dezembro do mesmo ano, mortos de frio e fome, nas proximidades da capital lituana, após a derrota da campanha da Rússia.
Os restos de 18 soldados foram reunidos, no cemitério de Antakalnis, aos outros dois mil corpos de soldados napoleônicos, descobertos em 2001 durante obras de construções em Vilnius e enterrados em 2003.
Fonte: France Presse