Novo Tempo

legenda

Novo Tempo

Roubos de quadros se concentram em obras de Picasso

Willian Vieira, com informações de O Globo – Mais uma obra do pintor espanhol, Pablo Picasso, foi roubada na França. Dessa vez, o furto aconteceu na casa de um colecionador. O crime ocorreu dois dias depois de um ladrão invadir o Museu de Arte Moderna, em Paris, e roubar cinco quadros, incluindo um de Pablo Picasso.


Por Peka Ederson 06/06/2010 - 08h21

Willian Vieira, com informações de O Globo – Mais uma obra do pintor espanhol, Pablo Picasso, foi roubada na França. Dessa vez, o furto aconteceu na casa de um colecionador. O crime ocorreu dois dias depois de um ladrão invadir o Museu de Arte Moderna, em Paris, e roubar cinco quadros, incluindo um de Pablo Picasso. Segundo a polícia, ao ouvir o toque da campainha, o dono da casa, um senhor idoso, foi agredido ao abrir a porta de sua residência. A vítima foi hospitalizada e os criminosos levaram a obra de Picasso e de outros artistas menos conhecidos.
Dois dias antes, empregados do Museu de Arte Moderna perceberam por volta das 7h que uma das portas havia sido arrombada. Os cinco quadros levados eram dos artistas Pablo Picasso, Fernando Léger, Henri Matisse, Georges Braque e Modigliani. Segundo a prefeitura de Paris, o valor total das obras é de 100 milhões de euros (123 milhões de dólares).
Ao tratar sobre o valor artístico dos quadros, Tiago César, professor de História do Colégio Adventista da Liberdade, em São Paulo, acredita que as obras sejam visadas com frequência pelos criminosos devido à singularidade que representam. “Elas marcaram uma mudança de estilo e uma nova linguagem da arte, e devido a isso, valem tanto. Dessa forma, obter essas obras, de valor singular, motiva e dá prazer aos criminosos”, explica César.
Estima-se que 170 mil obras de arte estejam desaparecidas no mundo, sendo que as obras de Picasso são as mais visadas pelos ladrões.