Novo Tempo

legenda

Novo Tempo

Lucro da Caixa sobe 46%; banco diz que inadimplência é estável


Por marciobasso 10/05/2012 - 07h23

A Caixa Econômica Federal informou nesta quinta-feira que teve lucro de R$ 1,2 bilhão no primeiro trimestre do ano.
O resultado é 46,1% superior ao mesmo período do ano anterior. Segundo o banco, houve retorno sobre patrimônio líquido médio de 25,3%.
A carteira de crédito do banco teve crescimento de 7,7% no trimestre, chegando a cerca de R$ 270 bilhões no final de março. A Caixa afirmou que o crescimento em 12 meses foi de 41,1%
“Com isto a instituição elevou para 13% sua participação no mercado, aumento de 2,1 pontos percentuais em um ano, enquanto a inadimplência se manteve estável na faixa de 2,0%”, disse.
O crescimento da receita de operações de crédito foi de 31,7%, para R$ 8,2 bilhões. A renda com prestação de serviços aumentou 18,6% no período, para R$ 3,3 bilhões.
“O total de ativos administrados atingiu R$ 1,1 trilhão, dos quais R$ 558,1 bilhões são ativos próprios, que apresentaram evolução de 29,4% frente a igual período do ano anterior. Destacaram-se ainda R$ 300,7 bilhões em FGTS e R$ 161,4 bilhões em fundos de investimento de rede e exclusivos”, informou a Caixa.
De acordo com nota do banco, o saldo das cadernetas de poupança apresentou crescimento de 16,7% em 12 meses, fechando o mês de março com R$ 154,7 bilhões. O valor representa uma participação de 36,1% no mercado.
O patrimônio líquido consolidado fechou março em R$ 20,5 bilhões, alta de 17,5% em 12 meses. “O patrimônio de referência era de R$ 40,4 bilhões, enquanto o Índice de Basiléia alcançou 12,8%.”
CRÉDITO
O saldo da carteira de crédito comercial em março foi de R$ 86,3 bilhões, uma evolução de 41,8% em 12 meses.
As operações de crédito com pessoas físicas tiveram saldo de R$ 40,7 bilhões em março, alta de 11,1% no trimestre e de 44,7% em 12 meses.
As pessoas jurídicas contrataram R$ 14,9 bilhões em operações de crédito, gerando saldo de R$ 45,6 bilhões, crescimento de cerca de 7% em relação a dezembro de 2011 e de 39,4% em 12 meses.
“Foram aplicados R$ 9,4 bilhões em crédito às micro e pequenas empresas com faturamento de até R$ 3,6 milhões, valor 47,7% maior em relação ao mesmo período do ano passado.”
“Em operações de microcrédito, a Caixa aplicou, no trimestre, R$ 80,9 milhões, dos quais R$ 73,9 milhões correspondem a contratações do Programa Crescer, lançado em agosto de 2011, para incentivar a geração de trabalho e renda para empreendedores formais e informais com faturamento anual de até R$ 120 mil. O Programa atendeu a 9 mil clientes, dos quais, mil são beneficiários do Bolsa Família.”
IMÓVEIS
Ainda segundo nota do banco, a carteira imobiliária teve saldo de R$ 164,6 bilhões em março, aumento de 40,6% em 12 meses.
As operações com recursos da poupança somaram R$ 85,0 bilhões (alta de 37,7%). Nas linhas com recursos do FGTS, o banco alcançou R$ 79,4 bilhões (crescimento de 44,3%).
O banco liberou R$ 22 bilhões para habitação, valor 49,7% superior ao liberado em março de 2011.
“Os financiamentos tiveram crescimento de 44,9% no total de R$ 16,9 bilhões, dos quais R$ 8,4 bilhões foram realizados com recursos da poupança (SBPE) e R$ 7,6 bilhões com linhas que utilizam o FGTS. Além disso, foram destinados R$ 1,7 bilhão para subsídios e R$ 3,4 bilhões em arrendamentos residenciais e repasses.”
Os contratos realizados no âmbito do Programa Minha Casa Minha Vida somaram R$ 10,8 bilhões, dos quais R$ 5,9 bilhões com recursos do FGTS, R$ 1,5 bilhão com subsídios e R$ 3,4 bilhões em arrendamentos residenciais e repasses.
INADIMPLÊNCIA
A Caixa Econômica Federal afirmou que o índice de inadimplência das operações comerciais em 12 meses reduziu e encerrou o trimestre com 2,97%, enquanto o crédito imobiliário registrou 1,80%.
“O atraso total do crédito na Caixa fechou o primeiro trimestre em 2,07%, abaixo dos 2,14%, índice apresentado no mesmo período de 2011.”
De acordo com o banco, mais de 90% das operações de crédito em março estava concentrada nos ratings de AA até C. A provisão para créditos de liquidação duvidosa representava 6,1% da carteira de crédito.
DEPÓSITOS
Os depósitos somaram R$ 268,8 bilhões no final de março, crescimento de 18,1% em 12 meses.
Os CDB/RDB captaram R$ 4,2 bilhões no trimestre e atingiram saldo de R$ 44,5 bilhões. As Letras Imobiliárias e Financeiras captaram R$ 3,4 bilhões no ano e apresentaram saldo de R$ 24,9 bilhões ao final do período.
Em março, o patrimônio administrado era de R$ 349,7 bilhões em fundos de rede, exclusivos, carteiras administradas, FI FGTS e outros, um aumento de 13,7% em relação ano anterior.
O banco fechou março de 2012 com 60,5 milhões de clientes –considerando correntistas e poupadores–, um crescimento de 10,4% em relação a março de 2011. Das 19,8 milhões de contas correntes, 18,5 milhões destinavam-se a pessoas físicas.
QUEDA DE JUROS
A Caixa e o Banco do Brasil deram início, em abril, a uma onda de cortes nos juros oferecidos no crédito a consumidores e empresas. O movimento, que atendeu a um chamado do governo, buscava forçar a concorrência no setor e induzir mais bancos a praticar taxas menores.
Desde então, os principais bancos do país aderiram ao esforço e já anunciaram a diminuição das taxas de juros em diferentes linhas de créditos.
Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/mercado/1088388-lucro-da-caixa-sobe-46-e-banco-diz-que-inadimplencia-e-estavel.shtml