Novo Tempo

legenda

Novo Tempo

Ato contra corrupção reúne 2 mil em São Paulo


Por marciobasso 12/10/2011 - 05h26

Manifestantes, em Taubaté, protestam contra a corrupção - Angelo Moraes/Leitor


Centenas de pessoas participam de um ato contra a corrupção na avenida Paulista na tarde desta quarta-feira (12) em São Paulo. A estimativa da Polícia Militar é a de que 2.000 pessoas estejam presentes.
Marcada pelo Facebook, a manifestação –que reúne atos convocados na internet por onze grupos– se diz apartidária e tem três bandeiras comuns: o fim do voto secreto no Congresso Nacional, a aplicação da Lei da Ficha Limpa e a transformação da corrupção em crime hediondo. Os participantes pedem também 10% do PIB para a educação.
Com a cara pintada e carregando bandeiras do Brasil, os manifestantes se concentraram no vão livre do Masp. Exibiram faixas com dizeres como “Exigimos o fim da impunidade parlamentar” e gritaram “Não corrupção, eu quero meu dinheiro para saúde e educação”. A manifestação foi apoiada por motoristas, que passaram buzinando pelo local.
Com uma vassoura na mão para pedir limpeza na política, a bibliotecária Ester Fernandes, 76, participou do ato. “Não é esforço. Ficar reclamando em casa não resolve.”
Nominalmente, os manifestantes criticaram o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), e o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD).
Um rapaz foi preso após quebrar, com pedras, vidraças do Mac Donald’s e do HSBC na Paulista. Ele foi levado ao 8º DP e, segundo a polícia, foi identificado como skinhead.
Às 15h, os manifestantes partiram em direção ao Theatro Municipal, centro da cidade, pela rua Consolação. Não há mais interdição na Paulista.
Pela internet, cerca de 16 mil pessoas haviam confirmado a presença no evento, que tem atos marcados por todo o país.
Sete de Setembro
Este é o segundo feriado seguido em que manifestações contra corrupção convocadas pela internet ganham as ruas. Há cerca de um mês, no Dia da Independência, o comparecimento também havia sido menor que o esperado, com exceção de Brasília, onde 12 mil participaram da Marcha Contra a Corrupção na Esplanada dos Ministérios.
Em São Paulo, 1.200 foram à avenida Paulista e no Rio apenas 50 pessoas compareceram à Cinelândia. Àquela ocasião, mais de 130 mil pessoas disseram no Facebook que protestariam.
PAULO GAMA, de São Paulo